segunda-feira, março 17, 2003

Morar em Floripa...
"Todo mundo quer morar em Floripa: dicas e verdades.
No começo os catarinenses do interior. Eles se aposentavam, os filhos vinham fazer cursinho, estudar na Universidade Federal. Depois os gaúchos. De uns anos pra cá, mais gaúchos e muitos paulistas. 'Mas bah' e 'ôrra, meu!' em certas regiões da cidade são mais freqüentes que 'credo-demonho' ou que 'ó-lhó-lhó'.
Qualidade de vida, Lagoa da Conceição, Centro, Av. Beiramar Norte, 42 praias, congestionamentos ínfimos, segurança, tranqüilidade, Guga. Pessoas conhecidas do Brasil inteiro se mudando pra cá: Paulo Markun, Mário Prata, Renan, Carlão, Débora Blando retornando, Raí, Müller, Velloso, e até o Felipão passa férias por aqui. Uma maravilha! Sem falar no fato de Floripa ser um recanto de espécimes femininas do mais alto gabarito. Um primo paulistano disse que aqui é a 'Capital Nacional das Ninfetas'.
Com um crescimento desordenado, Florianópolis está deixando de ser o paraíso de outrora e começa a ficar parecida com uma visão do inferno. Ainda não dá pra ver o diabo, mas se continuar assim, belzebu vai ser destaque na Escola de Samba Unidos da Coloninha até 2005.
Há dez anos, muita coisa ainda estava no papel: centro de convenções, elevado do CIC, elevado da Rodoviária, sistemas de saneamento e várias outras. Estas obras saíram do papel, viraram realidade. A cidade mudou e continua mudando. Via expressa sul, túnel, duplicação da SC 401 (isso, aquela rodovia que leva até as praias do norte). Investimentos e mais investimentos, da prefeitura, governo do estado, BID, iniciativa privada, BRDE, verba de todo lado.
Uns dados interessantes: Floripa tem a segunda maior média nacional de veículo por habitante, o maior índice nacional per capta de celular, a maior média nacional de conectados à Internet. Ah, e 12 universidades em sua região metro! politana.
Mas a necessidade de investimento precisaria ser muito maior para Floripa continuar com a qualidade de vida que a, digamos, 'consagrou'.
Só em 2002 (até maio), 70 assassinatos aconteceram por aqui. Em 2001, no ano todo, 47.
Cidadão, aqui também tem guerra pelo comando do tráfico! Os morros tem nomes diferentes, não é Dona Marta, é o da Caixa, é o da Covanca, o da Mariquinha. Mas os assassinatos são constantes. As cadeias aqui também estão superlotadas.
Antigamente, na volta das baladas, eu passava algumas madrugadas no terminal de ônibus, esperando o latão. Hoje em dia, evito até passar de carro depois das 10. E em vários lugares! Mas sem stress, vou colocar o CD do Dazaranha pra ouvir no carro. Ih, som do carro? Pow, estacionei na Lagoa e levaram! Dentro da ilha existem muitas outras 'ilhas' - de segurança e tranqüilidade, os condomínios que a Veja colocou na capa da semana passada - Jurerê Internacional, Saulo Ramos e Village, na Lagoa, por exemplo.
Falando em carro, o trânsito por aqui, perto de São Paulo e Rio, é tranqüilo. Só perto de lá mesmo. Se dizia antigamente que Floripa só tinha fila quando o sinal (tecla sap: semáforo, sinaleira) fechava.
No verão, escolha a Praia Brava, a Mole, a Joaquina, a Lagoa ou a Barra. 3 horas de fila na volta. Todo dia, os moradores do sul da ilha enfrentam pelo menos meia hora de congestionamento na ida, de manhã cedinho e pelo menos 1 hora na volta, às seis da tarde... Temos três pontes, mas nos horários de pico, a coisa pára. Pro norte, depois do trecho duplicado (a duplicação vai até o trevo de Jurerê Internacional) as filas continuaram...
Mas relaxa! Vamos tomar uma cervejinha. Ah! Cerveja é na Lagoa! Lugar agradável, lindo. Que delícia. Leve um prendedor de roupa, pra respirar só pela boca. A Lagoa morreu, é uma filial da Rodrigo de Freitas. Então tá, tem muito paulista na Lagoa mesmo, vamos pra outro lugar. Canasvieiras? Eca, quem se arrisca? Nem mais os pobres gringos. O governador disse que ia tomar banho na Beira Mar Norte no último dia do seu mandato como prefeito, em 1992. Traz o dermatologista! Nem agora dá!
Sem dúvidas que Floripa é um espetáculo, mas ela tem problemas, e graves. Ela tem uns 350 mil habitantes, mais os vizinhos do Município de São José e Palhoça que vem todo dia trabalhar aqui. É uma cidade média. É uma capital do estado. Problemas sociais, creches sem recursos, crianças na rua, desemprego.
E por falar em desemprego, mais um detalhe: venha pra cá com alguma coisa garantida. Se você é um profissional liberal ou pretende abrir seu negócio, ok. Mas se você está vindo achando que 'o eldorado é aqui', hummm, vai pro Tocantins!
Em Floripa um cara solteiro vive numa boa com um conto e duzentos, um conto e meio. Paga um aluguel ok, pode ter um carro, paga despesas gerais, sobra pra tomar uns tragos e comer umas ostras e uns pratos de berbigão no Ribeirão. Só que pra chegar de fora, sem ter uma nome na praça/conhecidos e arrumar logo um emprego, e ganhar esse dinheirinho, é ruim, hein!
Por isso, pense bem, conheça a cidade antes, ouça os moradores - os famosos 'corneteiros' - escute alguém do seu ramo de atividade que mora aqui. Ah, cuidado com os amigos 'bicho-grilo' que passam o dia fumando maconha na Lagoa e arrumam uns 'trampos pra se virar', certamente eles vão dizer que Floripa é o paraíso."

- Eu recebi isso por e-mail, e assino embaixo !

Um comentário:

Daltro disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.